Tracking Trip

Philadelphia em 1 dia!

Após os 4 dias em NY (que você pode ver aqui), continuamos nossa viagem pelos EUA, agora na Philadelphia. Chegamos lá de ônibus, pela empresa GrayHound pagando U$8,00 pela passagem. A Philadelphia é uma cidade histórica e com pontos turísticos pontuais, o lado bom é que ela é bastante próxima de NY, o que permite que você faça um bate e volta caso esteja apenas em NY. A Thainá já conhecia a cidade, mas para o Bruno era a 1ª vez! A Philadelphia é conhecida como o local onde nasceu os EUA, e possui símbolos históricos como o Sino da Liberdade e o local onde foi assinada a constituição. Um dia lá é ideal, conseguimos fazer tudo que queríamos. No meio do caminho encontramos algumas lojas de Outlet que talvez valessem um pouco mais de atenção, mas como não tínhamos nos planejado para isso, acabamos só passando rápido. Se estiver viajando com mais tempo e não gostar de fazer as coisas correndo, dois dias lá são suficientes. Fizemos todo o trajeto a pé e foi bem tranquilo! Infelizmente, lá não possui bicicletas com o esquema de BikeShare igual NY e Washington para turistas, apenas para moradores =/

Veja o Vlog do nosso dia por lá:

Roteiro Philadelphia

  • Benjamin Franklin Bridge
  • Elfreth’s Alley
  • Casa da Betsy Ross
  • Rocket Fizz
  • Centro de Visitantes
  • Sino da Liberdade
  • Market St.
  • Prefeitura
  • JFK Plaza
    • Love Sculpture
  • Benjamin Franklin Parkway
    • Museu do Rodin
    • O Pensador
  • Museu de Arte da Philadelphia
    • Escadaria do Rocky Balboa

Confira o traçado do nosso roteiro:

Chegamos na Philadelphia na noite anterior e dormirmos em um quarto de apartamento de uma moça bem legal, que alugamos pelo Airbnb, caso não saiba o que é, clique aqui para entender melhor como isso funciona! O apartamento ficava em Chinatown, o que foi muito bom, pois era do lado da rodoviária pela qual chegamos e saímos da cidade, economizando no transporte já que deu para ir a pé. Além disso, a Philadelphia é uma cidade bem grande, mas a parte turística fica bem concentrada e bem perto de onde estávamos, então pudemos fazer todo o trajeto a pé. Aliás, era essa a ideia, alugar um local mais barato que Hotel e melhor localizado, economizando assim com transporte e hospedagem.

Benjamin Franklin Bridge

58 - benjamim franklin bridge

A ponte não estava no nosso roteiro original, foi sugestão da nossa hostess, que deixou um papel com todas as sugestões de turismo e locais de comida chinesa seguros para comer (Afinal, até lá existem locais sem muita higiene). Ela disse que a ponte tinha uma vista bem bonita da cidade, e como era próxima de onde queríamos ir, resolvemos passar por lá. Só que a gente não tinha muita ideia de como chegar lá, então fomos andando pela rua que sairia na ponte, mas não vimos a entrada de pedestre, apenas de carro, então continuamos andando, até que a gente saiu do lado da ponte e não em cima dela! Com isso desistimos de tentar ver a vista da cidade de lá, afinal, se fosse refazer o caminho sairíamos do nosso traçado e perderíamos um tempo que poderia faltar, afinal, era 1 dia só lá!. Então, se for tentar subir na ponte, fique atento a entrada de pedestre para não fazer que nem a gente 😀

Elfreth’s Alley

59- elfreths alley

Continuamos andando até o Elfreth’s Alley, que é a primeira vizinhança residencial dos EUA. São 32 casas com fachadas preservadas e a rua da época, além de alguns detalhes, como bandeiras utilizadas na época e um poço. É bem bonitinho e vale a pena conhecer um pouco da história de lá. Ainda é possível visitar uma das casas, que ficou como uma espécie de museu, porém, estava fechada quando fomos e não havia informações sobre os horários de funcionamento. A entrada custa U$ 5,00 por pessoa. Olhando no site, diz que os horários de funcionamento no inverno não são regulares. Se estiver interessado, tente ligar ou agendar pelo site.

Casa da Betsy Ross

60 - betsy rossPerto dali, fica a casa da Betsy Ross, que era uma confeccionista de bandeiras do século 18 e foi creditada como a primeira pessoa a fazer a bandeira listrada de branco e vermelho e com a estrelas brancas no fundo azul. Lá, é possível entrar na casa também conservada no estilo da época e fazer um tour. A entrada custa U$ 5,00 para uma visita auto guiada ou U$ 7,00 se você quiser um áudio tour. Acabamos não entrando pois a Thainá já tinha estado lá e o Bruno não se empolgou muito. Afinal, 5 dólares são R$20,00 para uma visita de uns 15 min! E achamos que vale muito mais a pena se você for americano, como um acesso a sua história. Claro que conhecer outras culturas sempre vale a pena, e não fosse o dólar tão alto também entraríamos, mas, precisávamos economizar 😥 Em alguns horários definidos, é possível encontrar a “Betsy Ross” lá. Se quiser mais informações, acesse o site.
Do lado da casa tem uma gift shop interessante ( na mesma rua, e não a que fica dentro da casa), lá compramos imãs e lápis bonitinhos. Além disso, lá vendem tours de segway pela cidade. Não agendamos e não vimos o preço, mas fica a dica 😀

Rocket Fizz

61- rocket fizz

 

61- rocket fizz3No nosso caminho para o Centro de Visitantes, passamos por uma loja chamada Rocket Fizz, que achamos muito interessante! O que nos fez entrar na loja foi a placa informando que lá tinha mais de 400 tipos de refrigerantes! Precisávamos conhecer aquilo! A loja era bem grande, abarrotada de refrigerante de todos os tipos, todos produzidos por eles. Lá ainda tinha uma grande variedade de doces e balas diferentes. Depois de muita dúvida, saímos de lá com 4 refrigerantes. Como eles estavam quentes, levamos na mochila para tomar depois. Acabou que a gente só foi tomar no nosso último dia de viagem, quando não tinha mais jeito de carregar! E pra nossa infeliz surpresa, 61- rocket fizz2era um pior do que o outro! Gastamos U$ 8,65 com taxas nos 4. Vale a pena comprar para conhecer, mas não espere muita coisa. Os nossos eram: Martian Poop (sim, coco de marciano. E apesar no nome, ela era o melhorzinho dos 4!), Mighty Mouse, Firemans Brew Cream Soda, Chocolate Soda. O problema deles era que eram muito doces e a gente já estava comendo doce na hora, então ficou intragável e não conseguimos tomar =/  Quanto as balas, dr physik2achamos meio caras e acabamos não levando, e elas pareciam muito com as que compramos na Dilan´s candy bar em NY e que eram bem ruinzinhas também. fizemos um vídeo experimentando os refrigerantes, quando estiver pronto colocamos o link aqui. Por outro lado, tem um refrigerante pela cidade chamado Dr. Physic. Ele é o 1º refrigerante da américa e esse tem uma sabor até interessante. A Thainá tinha experimentado da outra vez quando almoçou no Visitor Center, e pretendíamos fazer a mesma coisa, já que lá ele estaria gelado. Mas acabou que não encontramos e fomos embora frustrados  😥

Independence Hall e Visitor Center

62- independence hall

Chegamos até o Centro de Visitantes, lá foi nossa primeira refeição do dia. Comemos uma Ceasar Salad com filé de frango. Estava bem gostosa e tinha o suficiente para dividir em 2. Deu U$ 10,00 com refrigerante refil. Não era a opção mais barata, mas o custo beneficio foi bom, principalmente por ser mais saudável e a gente estar um pouco cansado de fritura e Hamburguer.
No Visitor Center é possível pegar as entradas do tour para o Independence Hall, que são gratuitas. Porém, as entradas tem horário agendado e você só consegue entrar naquele horário. Como não sabíamos disso de cara, só fomos pegar quando já queríamos entrar lá, ai o horário era ruim e não iria dar tempo de ficar lá esperando, então resolvemos ir embora e não fomos no Independence Hall. Fica pra próxima. Mas lá é onde foi assinado a constituição e tem toda uma carga histórica, além de ser uma graça de construção!
No Visitor center é onde você também pode comprar os tours com aqueles ônibus de 2 andares. São 2 empresas que ficam lá dentro, ambas disputando clientes. Se você não conhece nada da cidade e não quer andar muito também, eles são uma ótima opção, além de irem contando a história de cada ponto, eles são aqueles ônibus que você sobe e desce quando quiser. Nós particularmente não gostamos muito, preferimos estudar nosso roteiro e ir onde queremos a pé, assim economizamos também, mas se você não conhece nada da cidade, pode ser bom.

Sino da Liberdade

63- sino da liberdade

O Sino da Liberdade fica dentro de um tipo de museu que conta sua história, o material que foi usado, o motivo dele ter rachado, como era feito a fabricação na época e mostra fotos de algumas pessoas famosas que estiveram por lá. É uma história bem interessante, mas com bastante alegoria, do jeito que o americano gosta. Conta um pouco da história e acontecimento da época também, além de alguns objetos. Como é gratuito, vale a pena curtir um tempinho lá dentro. O Sino é bem menor do que o esperado, nós 2 achávamos que seria um sino bem grande, e fica isolado por um fita, não pode encostar (e nem lamber), e tem sempre um guarda lá tomando conta. A visita aqui é obrigatória, afinal, é um dos pontos históricos mais marcantes!
PS: Se você não entendeu o porque de lamber o sino, assista nosso vlog e entenda um pouco melhor!

Market St.

Como não conseguímos ir no Independence Hall, fomos em direção à Prefeitura e fizemos esse caminho pela Market St. Já tínhamos visto que tinham algumas lojas lá, mas não sabíamos o tamanho delas! Passamos por uma Ross – Dress for Less e a loja era gigante! Com bastante opção. Como não estávamos com muito tempo, apenas a Thainá comprou um tênis da Tommy por U$ 25,00 e acabamos descobrindo que lá não tem taxa para compras! Até gostaríamos de explorar mais, afinal, são lojas muito menos turísticas que as de orlando (Nosso destino final), e tinham mais das coisas que nós, brasileiros, amamos. Mas, o tempo era curto…  😥
Nessa mesma rua, um pouco mais perto da Prefeitura, ainda tem uma Five Bellow, uma Marshalls e uma Macy’s! Todas lojas enormes e que valem a pena conferir. Fomos em uma Mashalls e em um T.J.Maxx em Washington e descobrimos ser muito melhor que as lojas de Orlando, falaremos disso com mais detalhes mais pra frente!

Prefeitura (City Hall)

64- city hall

A City Hall é enorme! Ocupando mais de um quarteirão, é um monumento incrível! A estrutura é bem parecida com a de um forte e com uma vista fantástica de dentro da estrutura. Sem falar na rosa dos ventos no chão e os detalhes incríveis na pintura! O lugar é muito bonito, vale muito a visita! Não tem burocracia para entrar e nem é cobrado nada, é meio que uma passagem de um lado do quarteirão para o outro.

JFK Plaza

65- jfk plaza

Atravessando a Prefeitura e virando a esquerda, você chegará na JFK Plaza. Essa é a praça que serviu de inspiração para o Monopoly(aqui no Brasil era chamado de Banco Imobiliário), tanto que muita gente chama de praça do monopoly (pq ela é quadradinha, tem residências, uma estação ferroviária, delegacia, entre outros pontos, então foi lá que nasceu a ideia do jogo). Além disso, a praça conta com a escultura do “LOVE” e possui uma fonte muito bonita! As fotos ficam bem legais de lá e dá para aproveitar um pouco a calmaria do lugar para descansar um pouco. Tome um pouco de cuidado ao tirar fotos, pois normalmente ficam pessoas se oferecendo e cobrando para tirar fotos.
Uma curiosidade inútil sobre essa praça: ela foi projetada pelo pai do ator Kevin Bacon. Pronto, informação inútil nunca é demais!  🙂
Do outro lado da rua por onde viemos da prefeitura, fica uma praça que contém algumas peças de jogos de tabuleiro, bem legalzinho também! Já que está lá, vale a visita e umas fotos!

Benjamin Franklin Parkway

66- bajamin franklyn parkway

Atravessando a JFK Plaza e passando pelo chafariz, saímos na Benjamin Franklin Parkway, uma avenida bem bonita, que contém um monte de bandeiras de outros países! Só são colocadas as bandeiras dos países que contém um número significante de moradores na Philadelphia. A bandeira do Brasil está entre elas. É possível ver o mapa das bandeiras aqui. E Alem disso, o caminho de pedestres da rua é maravilhoso!

Museu do Rodin

67- museu rodin

Ainda na Benjamin Franklin Parkway, você encontra o museu do Rodin, com a famosa estátua “o Pensador” (Uma replica) na entrada. Ao fundo também possui uma réplica dos Portões do Inferno, e eles dizem que está montado assim, para o pensar representar Dante, pensando no inferno! Ele fica fechado às Terças-feiras e funciona das 10h às 17h nos outros dias. Se for feriado, consulte antes. Como muitos museus americanos, o valor da entrada é “Pague o quanto quiser”, porém o valor sugerido é U$ 10,00 para adultos e de graça para crianças abaixo de 12 anos.

Museu de Arte da Philadelphia

68- museu de arte da philadelphia

Ao final da Benjamin Franklin Parwkay, fica o Museu de Arte da Philadelphia e oponto turístico mais legal de todos: a escadaria do Rocky! Mas calma, já falaremos disso! Ao chegar perto do Museu, já vemos uma estátua bem legal, chamada de The Washington Monument, que contém detalhes incríveis e é muito bem feita e muito bonita!
Quando fomos, por algum motivo o museu estava fechado, não entendemos muito bem o porquê, pois ele só não abre às segundas-feiras. O horário de funcionamento dele é de Terça a domingo, das 10h às 17h. Nas quartas e sextas ele fica aberto até as 20:45. O primeiro domingo de cada mês e todas as quartas são no esquema “Pague o quanto quiser” e nos outros dias custa U$ 20,00 por adulto e crianças abaixo de 12 anos não pagam.

Escadaria do Rocky / Estátua do Rocky

70- rocky stairs

Indo mais em direção ao Museu, tem uma estátua do Rocky, muito legal também e ótima para fotos. Mas, novamente, tome cuidado ao tirar fotos lá, pois ficam algumas pessoas se oferecendo e cobrando para tirar fotos, só aceite se realmente quiser o serviço e não como um favor!
Agora sim! A Escadaria do Rocky! Que emoção subir correndo as escadas ao som imaginário de Eye of the tiger! É muito legal! Sem falar 69- estatua rockyde como é engraçado ver as pessoas subindo correndo e comemorando lá em cima ao melhor estilo Rocky Balboa! Ainda tem uma marca no chão com os pés dele para você tirar uma foto do mesmo ângulo do filme! Foi muito legal. Ali em cima, ainda tem uma escultura “AMOR”. Foi muito amor e love nessa nossa viagem!

Nosso dia na Philadelphia foi bem legal. Não tinha muito mais coisa para ver, poderíamos ter ficado um dia a mais e entrado em alguns museus ou feito compras com mais calma, mas não achamos que valia muito a pena, afinal, iríamos para Washington e os melhores museus estão lá!. O dia acabou um pouco cedo, mas ainda precisávamos voltar tudo a pé, pegar as malas e ir para Washington!

E se você não viu nossos dias em NY, confira aqui:

Dia 1 –Bryant Park, Grand Central, Times Square, M&M, Disney store e +!

Dia2 –Battery park, Charging Bull, Brooklyn Bridge, D.U.M.B.O., One World Observatory e +!

Dia 3 -Chelsea market, High Line, Apto do Friend´s, Little Italy, Toys “R” us, Carlos Bakery e +!

Dia 4 –Love e Hope, Dilan´s Candy Bar, Central park (Bethesda Terrace), e +!

Deixe uma resposta